Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018
Pessoas com deficiência

27331909_2050718311864330_1146632120689333174_n.jp



publicado por albufeiradiario às 11:51
link do post
partilhar

Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2018
Quarta-feira de Cinzas

Início da Quaresma

igreja matriz.jpg

                                                                                                       ALBUFEIRAsempre (arquivo)

ZÉ D'ALBUFEIRA

Amanhã, quarta-feira de cinzas, tem início a Quaresma, um tempo de reflexão, conversão e penitência que nos conduz à Semana Santa, semana maior do calendário católico, em que se assinala a Paixão, Morte e Ressurreição de N. S. Jesus Cristo (Páscoa).

A Paróquia de Albufeira promove as seguintes celebrações na Igreja Matriz:

16h00-18h30 - Adoração Eucarística e Vésperas Solenes;

21h00 - Eucaristia com o Rito de Imposição das Cinzas.

***

Com o apelo à conversão, expresso na cerimónia da imposição das cinzas, a Igreja dirige-nos também um convite ao jejum.

Renunciando a uma parte importante do seu alimento, o cristão manifesta a sua disponibilidade em seguir o Senhor e em amá-lo acima de todas as coisas materiais e exprime a sua solidariedade com tantos homens e mulheres privados de alimento, de meios económicos, de bens culturais e de possibilidades de progresso.

Tempo de conversão, a preparação para a Páscoa deve transformar-se em "Quaresma de Fraternidade".

FONTE - Missal Popular



publicado por albufeiradiario às 00:00
link do post
partilhar

Domingo, 11 de Fevereiro de 2018
Restaurante Praia do Peneco

A opinião qualificada do artista plástico Fernando Silva Grade 

20853017_mHqqz.jpg

                                                                                                                                                  d.r.

ZÉ D'ALBUFEIRA

Face à polémica que se instalou à volta da construção de um restaurante na Praia do Peneco, envolvendo a Câmara Municipal de Albufeira e outras entidades com voto na matéria - e dada a pertinência e atualidade do assunto, que tanto tem dividido os albufeirenses, com a devida vénia transcrevemos do jornal 'barlavento' o artigo de opinião de Fernando Silva Grade, um expert na matéria.
 

«Albufeira era, nos anos 60 e 70 do século passado, um daqueles raros lugares míticos que era revelado de viajante a viajante, quase em segredo, como um shangri-la recém-descoberto, não nos Himalaias ou no Hindocuche mas, milagrosamente intacto, num recanto da Europa. Alcandorado em estática contemplação de um mar e de um céu de azuis únicos («[…]no mundo só encontrei no Arizona um céu com esta luminosidade!», Caetano Veloso), o alvo casario, escorrendo em cascata em cada reentrância das arribas, parecia, no seu conjunto, uma efabulação de poeta árabe inebriado pelos eflúvios de um narguilé»
in «Albufeira e Favela da Rocinha, Geminação, Já»

Este excerto de um capítulo publicado no livro «O Algarve Tal Como o Destruímos», da minha autoria, refere o esplendor e o apogeu de um povoado que, daí para diante, não tem conhecido outro destino que não a sucessiva e galopante delapidação, rumo à fealdade e ao caos que ostenta na atualidade.

O que os homens ergueram e capricharam durante gerações, numa interação estreita e harmoniosa com a natureza, com os elementos e com a cultura, outros homens apostaram na sua destruição sistemática e impiedosa, situação que se mantém e que parece não ter fim.

O último episódio deste triste holocausto ambiental e patrimonial está a ser escrito nos dias que correm, na vandálica cratera aberta no coração da praia do Peneco, com vista à integração compulsiva de mais uma excrescência aberrante, que se vai juntar a todas as outras que já poluem uma paisagem que já foi de cortar a respiração.

Do casario e da praia originários já só restam as descrições e as fotografias daqueles que tiveram o supremo privilégio de as poder contemplar com os olhos e com o coração.

É lastimável pensar que todas as gerações que se vão seguir ficarão, irremediavelmente, impedidas de apreciar, vivenciar e emocionar-se com um património que poderia ombrear com os mais deslumbrantes em todo o mundo.

António Rosa Mendes caracterizou, de forma certeira, o que ainda se está a passar no Algarve: «um genocídio cultural em curso».

Ora, em todos os genocídios existem os perpetradores, que, no caso do Algarve, não são difíceis de apontar: a ignorância, a insensibilidade, a estupidez humana e a ganância. Mas, subjacente a todas elas, ressuma uma incomensurável falta de amor e de respeito pela terra.

As praias do Peneco e dos Pescadores viram «o alvo casario escorrendo em cascata a cada reentrância das arribas» ser deglutido e devorado pela impudência alarve dos resorts standard; viram as falésias serem destituídas da sua vegetação, alisadas, cobertas de cimento e pintadas com tintas industriais; viram um caricato elevador à «Oscar Niemeyer» incrustar-se nas costas do Peneco; viram uma inenarrável escada rolante de shopping corromper uma arriba; viram a «fina areia doirada, que os pés das deusas podiam pisar com delícias» (Manuel Teixeira Gomes) ser sepultada sob toneladas de um miserável areão castanho que, qual aterro informe, desformou de vez a silhueta e a harmonia originária das duas praias.

Mas, não contentes com isto tudo, as cabecinhas pensadoras da autarquia de Albufeira, as luminárias da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e os correligionários da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve resolveram, por unanimidade, congeminar mais um bacamarte para acrescentar ao bouquet de iniquidades nas desditosas praias.

O mono, de indecorosa volumetria, a ser construído em sítio não previsto pelo POOC, vai ter impactos variados, tais como as problemáticas associadas aos esgotos, às águas residuais, ao lixo e à logística do abastecimento.

Mas o aspeto mais grave, que evidentemente não perpassou, nem ao de leve, pelas antenas embotadas das estultas autoridades decisoras, é a sua proximidade ao icónico rochedo do Peneco.

Este escultórico e monumental rochedo, de transcendência totémica, desempenhava no concerto paisagístico albufeirense o papel de maestro.

Mas, como na nossa terra os ícones também se abatem, a profanação do Peneco foi inelutável: primeiro, construiu-se nas suas costas, à traição, o descombinado elevador; depois, soterraram-no até metade, aquando do atulhamento da praia, diminuindo para metade a sua outrora impressionante estatura; agora, preparam-se para invadir o seu legítimo espaço vital com o catrameço que está a ser construído. A raia do sacrilégio foi atingido!

Mas ainda não é tudo. Está planeado a construção de um passadiço demente que vai rasgar o mar, as vistas e o que resta da costa alcantilada a poente (já grosseiramente desfigurada pela intrusão brutal dos pontões da «Marina»).

Apetece perguntar: o que mais irá acontecer a Albufeira?

Não me admira que projetos como uma roda gigante a implantar na beira-mar, uma montanha-russa a emparelhar com o risível elevador ou uma ilha «dubaiana» cheia de palmeiras em frente ao Hotel Sol e Mar, possam surgir com toda a naturalidade.

O que tem sido feito em Albufeira nas últimas quatro décadas representa um ultraje contra o património, contra o ambiente e contra a beleza, mas, sobretudo, é um crime gravíssimo contra o espírito da Terra.



publicado por albufeiradiario às 23:40
link do post
partilhar

Sexta-feira, 9 de Fevereiro de 2018
Carnaval / desfile dos "putos"

Programa troca os pés pelas mãos

003.JPG

                                                                                                     ALBUFEIRAsempre (arquivo)

ZÉ D'ALBUFEIRA

O tempo atmosférico tem destas coisas (e ainda bem que não é suscetível de condicionar pelo Homem, seria uma desordem incomensurável).

Andaram as nossas crianças semanas a preparar nas escolas o cortejo carnavalesco de hoje e a criarem expetativas sobre o seu batismo de voo - e eis que a chuva veio estragar tudo. Ou quase.

Quanto ao eventual batismo de voo, estragou-lhes os sonhos que vinham acalentado desde que foi conhecido o programa da arruada.

Vejamos. O percurso previamente estabelecido pela Câmara, pressupunha que o trajeto entre a Avenida da Liberdade (a terceira da marcha depois da partida da Avenida 25 de Abril e passagem pelo Largo Engº Duarte Pacheco), e a Praça dos Pescadores se fizesse por meio aéreo. Doutra forma não seria possível.

Dada a impossibilidade de utilização urbana de objetos voadores sob intempérie... foi tudo por água abaixo!

***

É no mínimo lamentável que a autarquia ponha na rua o programa de um evento público envolvendo centenas, quiçá milhares de famílias sem que o mesmo seja revisto. No caso em apreço, seria exigível que o/a autor/a do prospeto recorresse à consulta de quem, na Câmara, conheça as ruas de Albufeira. Bem sabemos que a comissão de Toponímia não é recomendável, mas é suposto haver plantas da cidade disponíveis para consulta dos funcionários... 

Em última análise, seria sempre possível uma ida à vizinha estação de correios, ainda não extinta pela administração, para ouvir a opinião abalizada de um carteiro.



publicado por albufeiradiario às 10:54
link do post
partilhar

Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2018
Tenente-Coronel

Vitor Calado condecorado

e passa à Reserva

vitor calado.jpg

                                                                                                                                                             d.r.

ZÉ D'ALBUFEIRA

O tenente-coronel Vitor Calado, colocado no Comando-Geral da GNR, no Carmo, em Lisboa, vai passar à Reserva na próxima segunda-feira dia 12.

Por esse motivo e como reconhecimento pelos bons serviços prestados à Guarda, foi condecorado esta segunda-feira, pelo Comandante Geral, com a medalha de D. Nuno Álvares Pereira.

Recorde-se que Vitor Calado, então com a patente de capitão, comandou o Destacamento de Albufeira da GNR, tendo também desempenhado, já como major, variadíssimas funções no Comando Territorial de Faro, designadamente oficial de operações e responsável pelas relações públicas.

Católico comprometido, Vitor Calado também tem tido um papel relevante ao nível da comunidade cristã local, muito havendo ainda a esperar da sua ação neste regresso à sociedade civil.



publicado por albufeiradiario às 21:25
link do post
partilhar

Domingo, 4 de Fevereiro de 2018
Carnaval Albufeira - II

27459988_1827530007260203_5046103158284060689_n.jp



publicado por albufeiradiario às 10:17
link do post
partilhar

Sábado, 3 de Fevereiro de 2018
Carnaval Albufeira - I

27459514_1827530010593536_6425371651132954480_n.jp



publicado por albufeiradiario às 18:15
link do post
partilhar

Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2018
Justiça

Igualdade é mentira

justiça balança desequilibrada.png

                                                         d.r.

ZÉ D'ALBUFEIRA

À medida que as patifarias vão emergindo, vai-se consolidando entre os portugueses a ideia generalizada de que há dois pesos e duas medidas para a aplicação da justiça (?) sobre os cidadãos.

A lei, que é drástica para o comum dos criminosos (e muito bem!) tem exceções gritantes que defendem escandalosamente os poderosos.

Por que carga d’água um juiz ou outro titular de órgão do poder judicial não pode ser preso se indiciado por crime grave punido com pena de prisão? A menos que seja apanhado em flagrante?

E se esse juiz ou titular de órgão do poder judicial for um serial killer que consiga nunca ser apanhado em flagrante deve continuar impunemente a perpetrar os seus crimes?

A igualdade dos cidadãos perante a lei, no Estado de Direito Democrático que querem fazer crer que é Portugal,  na verdade não passa de uma falácia.



publicado por albufeiradiario às 21:58
link do post
partilhar

Sábado, 27 de Janeiro de 2018
Restaurante Praia do Peneco

Ponto final. Parágrafo

albufeira p peneco antiga.jpg

                                                                                                      Artur Pastor (Albufeira séc. passado)

ZÉ D'ALBUFEIRA

Antes de colocar um ponto final na minha intervenção sobre o polémico restaurante em construção na Praia do Peneco, gostaria de deixar algumas pequenas reflexões sobre o tema, na certeza de que o mesmo, mais tarde ou mais cedo, voltará à colação, eventualmente por maus motivos.

Não contesto a legalidade da obra nem a legitimidade das entidades envolvidas.

O que não posso aceitar é que os nossos autarcas e os técnicos municipais com responsabilidades na matéria não consigam (ou não queiram) ver para lá dos regulamentos.

Creio, com efeito, que não foram acauteladas a defesa do ambiente, a degradação da poluição visual e a ocorrência de incidentes futuros provocados pelo mar.

É inegável que a edificação no local em que está a decorrer a obra vai retirar ainda mais realce ao Peneco, um verdadeiro ex-líbris de Albufeira, conhecido em todo o mundo e que deu o nome à própria praia (antigamente conhecida apenas por "Praia de Albufeira").

Já não bastava a presença do monstro (elevador) e o areamento artificial, necessário, sem dúvida, mas sem esta envergadura - para reduzir ainda mais a sua imponência, travestido a partir de agora em rocha vulgar a servir de mictório às bebedeiras saídas do restaurante.

Claro, com elevada perda de beleza da praia. Agravada, sem dúvida, se a arquitetura do restaurante for do género do mamarracho que colocaram na vizinha esplanada do túnel, a qual, depois da ocupação, deixou de ser usufruída pela generalidade dos albufeirenses.

Por outro lado, quer queiram ou não os especialistas da APA, CCDR e quejandos [é isto a descentralização?] o mar acabará por fazer estragos no imóvel, cuja localização deveria ter sido autorizada exatamente e apenas no mesmo sítio onde estava o anterior restaurante destruído pela ondas. Não me venham com a desculpa esfarrapada da segurança para o fazer afastar das arribas - a mesma desculpa utilizada face ao crime perpetrado aquando da destruição do saudoso passeio marginal. E do mesmo modo no entulhamento da também saudosa gruta da ponte de terra.

Espero bem que, quando o oceano fizer das suas, não se lembrem de combater o avanço das águas com a colocação de inestéticos blocos de pedra, tipo molhes, como acontece na Costa da Caparica e praias do norte com total desrespeito pela paisagem.

E assim, paulatinamente - e legalmente -, Albufeira vai sendo destruída e prostituída pela vontade de pessoas a quem a nossa terra nada diz a não ser por vis interesses económicos, certamente legítimos mas que não justificam tudo. Ou não deviam justificar.



publicado por albufeiradiario às 13:36
link do post
partilhar

Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2018
Aldeia da solidariedade

26814485_1815774801769057_535305250928089557_n.jpg

 



publicado por albufeiradiario às 18:30
link do post
partilhar

pesquisar
 
Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28


posts recentes

Pessoas com deficiência

Quarta-feira de Cinzas

Restaurante Praia do Pene...

Carnaval / desfile dos "p...

Tenente-Coronel

Carnaval Albufeira - II

Carnaval Albufeira - I

Justiça

Restaurante Praia do Pene...

Aldeia da solidariedade

arquivos

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

links
blogs SAPO
subscrever feeds