Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2019
"Bomba" em 1ª mão

Desidério Silva

demite-se do PSD

EM ATUALIZAÇÃO

desidério.jpg

                                                                                                                                                             d.r.

ZÉ D'ALBUFEIRA

O antigo presidente da Câmara de Albufeira e ex-presidente do Turismo do Algarve, Desidério Silva, apresentou a sua demissão do Partido Social Democrata (PSD).

Alegando que o partido, ultimamente, lhe não tem dado o relevo a que se julga com direito, segundo fontes partidárias, o ex-autarca pretendeu fazer entrega do respetivo cartão de militante à comissão política local dos social-democratas - a qual, por sua vez, recusando rececioná-lo, lhe sugeriu que o fizesse junto dos órgãos nacionais.

Recorde-se que nas últimas eleições autárquicas circulou a informação de que Desidério Silva seria candidato independente pelo Partido Socialista, facto que não veio a confirmar-se.

De acordo com uma fonte que solicitou o anonimato, o agora demissionário terá sondado nos últimos dias responsáveis do Aliança, o que poderá indiciar uma futura adesão ao novo partido de Pedro Santana Lopes.



publicado por albufeiradiario às 12:31
link do post | comentar | ver comentários (1)
partilhar

Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2019
Imagens que falam por si - CXXXVII

Em Albufeira...

IMG_20190128_145552.jpg

                                                                                                                           ALBUFEIRAsempre

...vale tudo !



publicado por albufeiradiario às 18:03
link do post | comentar
partilhar

Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2019
Cross das Amendoeiras

49640335_357690885056332_6680037986375041024_n.jpg

 



publicado por albufeiradiario às 14:06
link do post | comentar
partilhar

Domingo, 20 de Janeiro de 2019
Estatuto de Cuidador Informal

Carta aberta

ao Primeiro-Ministro

e Partidos com assento parlamentar

50402506_1035638096639051_935351853099515904_n.jpg

                                                                                                                                  d.r.

GRAÇA CANHÃO

Sou a Maria da Graça Rodrigues Canhão, divorciada, natural de Faro, residente em Albufeira, tenho nacionalidade portuguesa, venho mui respeitosamente expor a V. Exas o seguinte:

- Para quando o Estatuto de Cuidador Informal será uma realidade?

- E, quando será desbloqueado o futuro dos jovens portadores de alguma deficiência ou com necessidades especiais que, a partir dos 18 anos regressam a cada sem respostas adequadas à sua condição?

Sou mãe de um jovem de 23 anos portador do espectro do autismo com déficit cognitivo severo que, se encontra há 5 anos em casa por falta de outras soluções.

Sou cuidadora não por opção mas por imposição da situação, porque sou apenas eu. Neste entretanto completo dentro de alguns meses 4 anos, o tempo máximo previsto pela lei para cuidar de filho com deficiência ou com doença crônica, usufruindo do respectivo subsídio para tal.

Depois o que será?!

Venho por este meio questionar V. Exas porque não compreendo que, a aprovação de Estatuto de Cuidador Informal não seja uma prioridade. Num Estado de Direito democrático a primazia tem de ser, deve ser a Dignidade da Vida Humana.

Somos cuidadores sem cuidados, vidas suspensas no nada e, nesse preciso nada tudo damos. Sem horários ou outras regalias, prestamos um serviço permanente 24 sob 24 horas. Desistimos de tudo para assistirmos a tudo e, nesse tudo nada nos resta. Somos mulheres e homens com vidas interrompidas por opção ou não, rostos invisíveis da sociedade, apenas temos deveres.

Temos o presente e o futuro hipotecado, fomos deserdados de todos os direitos conquistados numa madrugada de Abril. Prestamos um serviço ao Estado português que não é reconhecido como tal.

Existem matérias que não são partidárias, não dizem apenas respeito a um só governo, são de relevância para toda a sociedade afinal, somos um país de cuidadores.

É insustentável que os jovens com alguma deficiência ou com necessidades especiais tenham o seu futuro comprometido porque, as instituições competentes esqueceram da sua maioridade e, de darem continuidade à tão apregoada inclusão. Estão agora reféns dos seus lares por falta de alternativas plausíveis, bem como as respectivas famílias e, ainda mais grave no caso das famílias monoparentais tais como a minha. Não tenho rectaguarda, sou chefe de família.

É urgente repensar o projeto de vida para estes jovens, para não ficarem "estacionados" num tempo vazio, regredindo , perdendo competências adquiridas com tanto esforço deles e consequentemente nosso também. Os 18 anos não pode significar de todo o fim de um caminho onde houve tanta luta e superação diária. Merecem um futuro digno adaptado às circunstâncias de cada indivíduo.

Como cidadã portuguesa não me demito da minha responsabilidade na construção de uma sociedade mais justa e inclusiva mas, lamentavelmente os políticos do meu país demitiram-se do propósito para o qual foram elegidos, nomeadamente na protecção das minorias mais desprotegidas.

Certa de que este assunto vai merecer a atenção de V. Exas,

Apresento os meus respeitosos cumprimentos.

Graça Canhão



publicado por albufeiradiario às 20:13
link do post | comentar
partilhar

Sábado, 19 de Janeiro de 2019
Recantos (Albufeira) - 1

IMG_20190119_123928.jpg

                                                                                                                                 ALBUFEIRAsempre



publicado por albufeiradiario às 13:52
link do post | comentar | ver comentários (1)
partilhar

Terça-feira, 15 de Janeiro de 2019
Chronica de Al-mefêra - 2

Chronica de Al-mefêra
do Bis-Conde da Orada

camara albufeira2.jpg

                                                                                                                                               d.r.

Incomodado com a crescente onda de indignação surgida entre a populaça, por guardar no colchão mais de oitenta milhões de cruzados sem obras para aplicar, o administrador do concelho desatou a anunciar aos quatro ventos uma série (fictícia ?) de empreendimentos a realizar alegadamente no ano em curso, por sinal ano de eleições gerais e europeias, onde se contam, nomeadamente, dois asilos em Fontes Pequenas e Olheiros d'Água, repavimentação de caminhos da vila (mas não é porque venha aí nova etapa da Volta a Lusitânia em Pedaleira...) e substituição das redes de águas e esgotos medievais que servem a urbe.

Ora, tudo isto somado vai dar um empurrãozinho ao seu partido (PSQP – Partido Salve-se Quem Puder), afastado do poder, pelo António dos Golpes Baixos e a sua coligação dita de esquerda, há quase quatro anos, portanto a sofrer uma perda enorme de tachos e tachinhos e, ainda por cima, a viver uma luta fratricida só igualável àquela que levou o atual presidente do conselho de ministros da Lusitânia e líder da coligação dita de esquerda (!) a usurpar o poder ao seu correligionário António Inseguro. Consta até que o Rui Ribeiro, administrador-geral do PSQP, terá feito no ano transato um apelo nacional secreto aos concelhos administrados por membros do PSQP para investirem em força em realizações que dêem nas vistas, por forma a recuperarem em 2019 o eleitorado que lhes tem fugido entre os dedos, segundo as mais recentes sondagens.

Por outro lado, a administração do concelho de Al-mefêra tem-se esforçado bastante, ultimamente, por tomar medidas que satisfaçam claramente as famílias mais carenciadas, transformando a edilidade, paulatinamente, numa agência de transações de imóveis e carros em segunda mão, certamente acessíveis ao comum dos cidadãos.

Resumindo - e para que não digam que o Bis-Conde da Orada critica por fazerem e por não fazerem: vamos ter um ano de 2019 cheio de coisas boas na nossa terra.

                                                                                          Bis-Conde da Orada

Qualquer coincidência com factos reais é pura semelhança.



publicado por albufeiradiario às 09:04
link do post | comentar
partilhar

Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2019
Com imaginação e vontade (que não vislumbro...)

Maior eficácia do Município

camara_albufeira.jpg

                                                                                                                       ALBUFEIRAsempre (arquivo)

ZÉ D'ALBUFEIRA

No verão de 2015, portanto há mais de 3 anos, publiquei o artigo abaixo reproduzido, no qual sugeri à Câmara, com recurso à boa vontade dos seus trabalhadores, a criação de um esquema, simples mas útil, que lhe permitisse dispor de informação em cima da hora sobre anomalias visíveis no concelho.

Um então alto responsável autárquico, que lera o artigo (eles lêem... embora finjam que não vêem), disse-me poucos dias volvidos que achava a ideia interessante e fácil de pôr em prática.

Porém, depois disso, nada me adiantou sobre o tema nem com ele gastou as pestanas.

Por me parecer a proposta atual e com pernas para andar (assim haja vontade para a implementar!) volto a insistir nela, consciente embora de que aborrecerei muita gente (bem) instalada nos paços do concelho.

 

Com imaginação e inovação

Maior eficácia do Município

A Câmara de Albufeira, com alguma dose de imaginação e verdadeira vontade política dos seus responsáveis, poderia inovar em matéria de avaliação urbana, passando a dispor da maior máquina de fiscalização jamais vista entre as autarquias portuguesas.
E, logo que oleada, tomada por modelo por outras congéneres de norte a sul. Com o que muito melhoraria Portugal ao nível da eficácia do poder local.
Sem recurso a novos meios, apenas tirando partido do extenso quadro de pessoal de que dispõe e promovendo uma redefinição de serviços, por forma a adaptá-los à nova realidade, o Município poderia implementar um conjunto de normas e instruções que levassem os seus empregados, nas habituais deslocações de e para o trabalho e de lazer, na área do concelho, a tomar nota de todas as anomalias de que se apercebessem, desde a calçada levantada à passadeira por pintar, até ao uso indevido de equipamentos, passando pela deficiente limpeza pública e tantos e tantos itens possíveis e imaginários.
Chegado ao local de trabalho, cada funcionário introduziria a informação recolhida no sistema informático. Diariamente, as secções fariam a compilação dessa informação, no que respeita às respetivas áreas de atuação.
A partir daqui, é só passar à acção no terreno, com todas as vantagens inerentes.
Em seis meses, Albufeira alteraria radicalmente para melhor toda a sua imagem - e os munícipes veriam substancialmente aumentados os níveis de satisfação.



publicado por albufeiradiario às 21:50
link do post | comentar
partilhar

Terça-feira, 1 de Janeiro de 2019
Ano novo

feliz-2019.gif



publicado por albufeiradiario às 00:01
link do post | comentar
partilhar

pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A favor da AHSA - Associa...

Igreja solidária

Um direito e um dever

Data histórica

Imagens que falam por si

Portugal de luto

Campanha eleitoral

João Nicolau

Sporting

Jornalismo de qualidade

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

links
blogs SAPO
subscrever feeds