Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albufeira Sempre

Diário sobre Albufeira.

Albufeira Sempre

Diário sobre Albufeira.

O CAFÉ DA JÚLIA

albufeiradiario, 13.06.06

PONTO DE (DES)ENCONTRO 

78892903_3254500627954396_7698392466176606208_n.jp

 

ZÉ D'ALBUFEIRA

O café da Júlia foi, durante gerações, o ponto de encontro dos albufeirenses. Os da raia miúda e os remediados, que eram a esmagadora maioria dos filhos da terra. Os poderosos iam ao clube e, mais tarde, também  ao Jul-Bar, conhecido na gíria por café dos burros. Não pelos frequentadores, mas por ter sucedido a uma oficina de ferrador. Os intelectuais frequentavam o café Bailote.

Durante anos e anos era ali, na Julinha (senhora sempre jovial, pele aveludada,  sorriso de todo o tamanho, sincero e amoroso, para os clientes que estimava sem acepção), era ali que se passava o tempo.  Bebendo e jogando, ao domingo a ouvir o relato. Tertúlias reuniam diariamente: verdadeiro forum de aldeia onde todos se conheciam e se conhecia a vida de todos. No tempo da outra senhora, conspirava-se contra a situação, em surdina, não fosse um bufo escutar. Cá fora, na esplanada, as mesas e cadeiras tinham que ser removidas cada vez que passava a camioneta da carreira. Conduzida, quase sempre, pelo João Coelho, o único capaz de dar a volta sem fazer manobras.  No interior da cozinha, na mesa dos apóstolos, mestre Tóino Ataíde e outros confrades eram assíduos à volta dum pardalinho e dum petisco ou duma lata de conserva. À noite, portas fechadas ao público e à GNR, clientes certos continuavam madrugada fora a dar ao dente as conquilhas e os choquinhos  e outros acepipes divinamente cozinhados pelo Manel.

O Manel, graças a Deus, ainda lá labuta. É o empregado mais velho da casa. O Joaquim Ferreira, penso, é o mais antigo cliente que ainda hoje frequenta aquele local, já sem o glamour e o romantismo e o perfume inebriante de outras eras.

Rendido às modernices, o café da Júlia já nem assim se chama. Deram-lhe outro nome, sem chama.

E já não é, não mais voltará a ser, ponto de encontro dos albufeirenses. Quando muito, será um ponto de (des)encontro. De pessoas das mais diversas origens, para quem representa apenas um bom sítio para tomar um copo.

contacto - albufeirasempre@sapo.pt

1 comentário

Comentar post