Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Albufeira Sempre

Diário sobre Albufeira.

Albufeira Sempre

Diário sobre Albufeira.

A redação do Carlinhos

albufeiradiario, 19.02.16

A redação do Carlinhos

carlinhos.pngCarlinhos é uma criatura encantadora. Com apenas 5 anos, frequenta o 3º ano do Ensino Básico (antiga 3ª. classe da Escola Primária). E embora com algumas dificuldades na escrita do Português (por exemplo, não sabe fazer a pontuação) tem uma capacidade de relato e de crítica fora do normal. É o que hoje se chama uma verdadeira criança hiperdotada.

Ontem fui dar uma volta à praia dos barcos o meu paizinho diz que sempre conheceu aquela praia por este nome até que há alguns anos se lembraram de passar a chamá-la de praia dos pescadores numa pretensa homenagem aos homens do mar mas a melhor homenagem que lhes podiam ter feito era quando começou a funcionar o mini-porto d'abrigo terem mantido na praia um pequeno núcleo museológico com um barco de cada tipo e redes e utensílios tradicionalmente utilizados na faina devidamente identificados, preservados e resguardados das intempéries e da pulhice humana que leva as pessoas só por maldade e estupidez a vandalizar as coisas públicas como se vê aqui em Albufeira que embirram com os sinais de trânsito, os recetáculos de lixo ou mais fino resíduos sólidos os bancos de jardim não temos jardim mas temos bancos espalhados pelas ruas para os peões poderem descansar e outro equipamento urbano mas já estou a fugir do assunto que me fez pegar na caneta quando fui ontem à praia constatei mais uma vez com desagrado e muita pena minha o estado de degradação em que está o pontão aquilo assim não serve para nada só para pescadores lúdicos e cada vez mais com menos segurança gastaram tanto dinheiro do polis isto é do nosso bolso e parece que não sabiam se calhar não sabiam mesmo e não procuraram os conselhos de quem sabe e julgaram estar perante um rio que o mar rebentaria com aquilo tudo a mim parece-me que a solução seria construir à volta uma barreira de segurança como um molhe para suster os ataques das ondas e o avanço das marés e criar condições para que os banhistas possam tirar algum proveito de uma estrutura que já custou milhões jogados à rua neste caso ao mar e que os pequenos barcos de recreio ou pesca possam atracar em segurança e os pescadores lúdicos possam utilizar sem ser chateados pelo cabo-do-mar e mais grave ainda é que fui impedido de passar para a praia do peneco no limite está uma autêntica lagoa de águas mal-cheirosas que vêm do caneiro da ribeira e deviam ser conduzidas para o alto-mar por um emissário submarino que também custou muitos milhares do erário público e o mar estragou e ali jaz submerso e inoperacional sem qualquer função tal e qual como junto ao inatel parece que não temos a mínima vocação para lidar com as coisas do mar...