Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Albufeira Sempre

Diário sobre Albufeira.

Albufeira Sempre

Diário sobre Albufeira.

Armar o maio

albufeiradiario, 01.05.22

Tradição que se perdeu

osmaios.jpg

ZÉ D'ALBUFEIRA

Armar o Maio (ou a Maia) era uma tradição muito querida entre as  gentes do  Algarve que, há pouco menos de meio século, ainda era costume fazer-se em  Albufeira.

O Maio era um boneco geralmente feito de palha, coberto de trapos, a imitar uma figura humana vestida com traje algarvio, colocado em local frequentado da via pública, à volta do qual as gentes da terra festejavam a renovação da Natureza (própria da Primavera). Comiam-se figos secos, recheados ou em estrelas, e bebia-se aguardente de medronho.

Hoje, caíu em completo desuso. E as pessoas com menos de cinquenta anos nem sabem o que isso é.

Havia diversos Maios em Albufeira, montados por populares, quase sempre à porta de tabernas. Lembro-me de um no Rossio, outro na Meia Laranja, um outro no Cais e outro ainda na Estrada de Quarteira. Pelo campo havia vários. Era a maneira de o povo festejar à sua maneira, nalguns lugares cantando e dançando.

Estes festejos do primeiro dia de Maio, aliás, tinham origem longínqua no tempo. Porventura entre os Romanos, que celebravam exuberantemente nesta data a deusa Maia, oferecendo sacrifícios em sua honra.

NR - Em Olhão e Tavira, graças à carolice de uns quantos moradores, ainda se armam os Maios.